Clipping
CLIPPING
 

As matérias e artigos a respeito de escolha profissional e profissões ficam disponíveis durante o mês corrente. 

Voltar

Nova pagina 5

 G1, http://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/ciencias-biologicas-exclui-pesquisadores-e-so-tem-mercado-para-professor-veja-o-que-e-fato-na-carreira.ghtml, 28/08/2017

Ciências biológicas exclui pesquisadores e só tem mercado para professor? Veja o que é fato na carreira

Profissão possibilita atuação em mais 50 áreas diferentes; carreira foi a sétima com maior número de inscritos no Sisu do ano passado.

Por Vanessa Fajardo

A profissão que estuda a vida na Terra é bastante ampla. A graduação, dividida em bacharelado e licenciatura, habilita o biólogo a atuar em mais de 50 áreas diferentes, segundo o Conselho Federal de Biologia.

 “Em sala de aula sempre brinco que o biólogo não é Deus, mas está em todos os lugares”, diz Rosemeire Aparecida Bom Pessoni, coordenadora do curso de ciências biológicas da Universidade Metodista, no ABC.

Na edição 2016 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação (MEC), a carreira foi a sétima com o maior número de inscritos, ficando atrás de administração, pedagogia, direito, medicina, educação física e enfermagem.

Nos últimos anos, de acordo com o Censo da Educação Superior, o número de formados no cursos de licenciatura é mais do que o dobro dos bacharéis. O dado mais recente, de 2015, aponta que 13.633 concluíram a licenciatura em ciências biológicas, e 5.808 se formaram como bacharéis.

O que é fato na carreira

Alguns mitos rondam a carreira como o estereótipo do biólogo explorador que faz pesquisas de campo desbravando áreas selvagens acompanhado apenas de um canivete. “Houve uma profissionalização do trabalho de campo, embora isso nem sempre seja mostrado na TV. Entrar no mato é sempre uma aventura, mas o biólogo está sempre preparado e acompanhado de equipes multidisciplinares”, afirma Rosemeire.

G1 selecionou outras cinco dúvidas associadas ao curso e ao mercado para descobrir com especialistas se são condizentes:

·         Curso de ciências biológicas e biologia é a mesma coisa?

·         Não há mercado para a área de pesquisa no Brasil?

·         Para fazer esse curso tem de ser bom em exatas?

·         Quem opta pela carreira precisa necessariamente dar aulas?

·         O grande mercado para os biólogos foi criado com a preocupação em preservar o meio ambiente e as causas ecológicas?

G1 ouviu os seguintes profissionais e estudantes da área para responder às questões acima:

·         Fabiana André Padilha, bióloga do Aquário de SP

·         Karin Argenti Simon, coordenadora do curso de ciências biológicas do campus Unifesp Diadema

·         Marcelo Szpilman, biólogo do AquaRio

·         Rosemeire Aparecida Bom Pessoni, coordenadora do curso de ciências biológicas da Universidade Metodista, no ABC

Curso de ciências biológicas e biologia é a mesma coisa?

Sim. A confusão ocorre porque a biologia é o termo amplo que descreve a ciência que estuda os seres vivos, segundo Karin Argenti Simon, coordenadora do curso de ciências biológicas do campus Unifesp Diadema. Ainda, segundo ela, o curso de ciências biológicas é a base central que abrange uma série de outras áreas, como biomedicina, engenharia florestal, gestão ambiental, entre outras.

Não há mercado para a área de pesquisa no Brasil?

A professora Karin lembra que a pesquisa científica em todo o país foi afetada pela crise financeira, mas que as universidades públicas concentram o maior polo. Ela diz que a indústria cada vez mais tem interesse e necessidade em contratar biólogos focados em pesquisas de desenvolvimento tecnológico e de produção, assim como nos assuntos relacionados à preservação do ambiente.

Marcelo Szpilman, biólogo do AquaRio, aconselha quem quiser seguir carreira como pesquisador a ir para o exterior. “A verba que existe no Brasil é restrita e um trabalho pode levar anos. Aqui falta visão de que a ciência é importante”, afirma Szpilman.

"Quem quiser se dedicar à pesquisa, deve ir para países como Estados Unidos, Israel, França e Alemanha" - Szpilman

Para fazer esse curso tem de ser bom em exatas?

No geral, os especialistas apontam que é necessário algum domínio. Dependendo da área que o estudante seguir, o entendimento de exatas deve ser maior, como controle de pesca, por exemplo.

Quem opta pela carreira, precisa necessariamente dar aulas?

Não. Este é um mercado de trabalho, mas há muitas outras opções na biologia. Quem quiser ser professor, precisa optar pelo curso de licenciatura que oferece disciplinas e estágios específicos que habilitam o profissional a lecionar. O outro caminho é o bacharelado.

O grande mercado para os biólogos foi criado com a preocupação em preservar o meio ambiente e as causas ecológicas?

Sim, sem dúvida. “Agências de estudo de impacto ambiental, o ecoturismo, ONGs de preservação ambiental e, até mesmo, indústrias que se preocupam com manejo ambiental são oportunidades de trabalho para o biólogo”, explica a professora Karin.

Fabiana André, bióloga do Aquário de SP, lembra que para quem é formado em licenciatura também há opções de trabalho em projetos de educação ambiental, além do ensino formal de ciências. Para ela, a onda da conscientização ecológica é bem-vinda. "Ainda bem que hoje quase todo mundo está engajado nesta questão ambiental porque o planeta está pedindo socorro."