Clipping
CLIPPING
 

As matérias e artigos a respeito de escolha profissional e profissões ficam disponíveis durante o mês corrente. 

Voltar

Nova pagina 4

Carta Campinas / in Economia e PolíticaManchete / on http://cartacampinas.com.br/2017/07/universidades-particulares-brasileiras-estao-entre-as-piores-da-america-latina, ffquinta-feira, 20 jul 2017

Universidades particulares brasileiras estão entre as piores da América Latina

O ranking da publicação britânica  Times Higher Education (THE), que colocou a Unicamp na frente da USP (Universidade de São Paulo) como a melhor Universidade da América Latina, também mostrou que as universidades particulares brasileiras estão entre as piores das Américas.

A PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas), por exemplo, não aparece entre as 81 universidades presentes no ranking, assim como qualquer outra universidade particular de Campinas. O ranking foi divulgado nesta quinta-feira (20). Esta é a segunda edição da Times Higher Education Latin America.

Entre as 81 do ranking, poucas são universidades particulares brasileiras. As melhores universidades continuam sendo as universidades públicas, seja federal ou estadual. O Brasil tem 2.090 universidades privadas e apenas três aparecem entre as 50 melhores. Já entre as públicas, o país tem apenas 301 e, destas, 15 estão entre as 50 melhores.

As três exceções são a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) ocupa a 9ª posição geral e fica atrás de 4 brasileiras; a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) ocupa a 16ª posição, atrás de 8 universidades públicas e a Pontifícia Universidade Católica do Paraná, que está quase no final da lista das 50 melhores. (Veja quadro abaixo)

Times Higher Education Latin America avaliou 81 universidades latino-americanas. A análise foi feita com base os mesmos critérios do THE World University Rankings, mas com ajustes para refletir melhor as características das instituições da região.

O ranking usou 13 indicadores de desempenho nos segmentos de ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e grau de internacionalização. Os critérios gerais são: ensino, pesquisa, citações, perspectiva internacional e renda vinda da indústria.