Jornal da USP, https://jornal.usp.br/atualidades/saiba-como-jovem-ingressou-na-usp-sem-vestibular-da-fuvest-e-sisu/?utm_source=facebook:newsfeed&utm_medium=social-organic&utm_campaign=redes-sociais:032020:e&utm_content=:::&utm_term=, 03/03/2020

Saiba como jovem ingressou na USP sem vestibular da Fuvest e Sisu

Monick Pereira Zeitounian entrou na USP em São Carlos aos 17 anos, após processo seletivo por competição de conhecimento

 download do áudio

Talvez as formas de ingresso na USP que você conheça sejam o tradicional vestibular da Fuvest e, mais recentemente, o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) com as notas do Enem. No entanto, desde 2019, a Universidade trouxe mais uma forma de entrada: a participação em olimpíadas acadêmicas. Vagas de diversos cursos de graduação foram destinadas para alunos que se destacaram em olimpíadas nacionais e internacionais. O Jornal da USP no Ar conversou com Monick Pereira Zeitounian, estudante do curso de Matemática Aplicada e Computação Científica que garantiu sua vaga após ser medalhista de prata na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

“Desde criança eu me aprofundei e via a matemática de forma diferente do que na escola, com a OBMEP. Ela é mais intuitiva, menos copia e cola e fórmulas decoradas. Há um melhor aproveitamento do conhecimento”, diz Monick, estudante do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, que participou da OBMEP desde o sexto ano do ensino fundamental.

Sempre estudando em escolas públicas, suas participações na olimpíada foram evoluindo. No sexto e no oitavo ano do ensino fundamental, ela ganhou menções honrosas, dadas aos alunos que tiveram bom desempenho após aprovação na segunda fase, mas cujas notas não foram suficientes para serem medalhistas. Porém, no segundo ano do ensino médio, em 2018, ela finalmente conseguiu uma medalha de prata. Foi essa medalha que deu a pontuação necessária para o processo seletivo por competições de conhecimento na USP. 

É importante lembrar que esse processo seletivo não aceita medalhas apenas da OBMEP. Ao todo, são nove olimpíadas nacionais que o aluno pode pontuar: OBM (Olimpíada Brasileira de Matemática); OBMEP; OBF (Olimpíada Brasileira de Física); OBFEP (Olimpíada Brasileira de Física de Escola Pública); OBI (Olimpíada Brasileira de Informática); OBQ (Olimpíada Brasileira de Química); OBR (Olimpíada Brasileira de Robótica – Teórica); OBB (Olimpíada Brasileira de Biologia); e OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica). Essas olimpíadas garantem vaga para as competições internacionais, cuja mera participação já dá pontuação para o estudante que quer entrar na USP por essa modalidade. Cada unidade que optou por esse processo seletivo definiu quais olimpíadas seriam válidas. Mais informações podem ser encontradas clicando aqui.

“A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) abriu uma modalidade de ingresso semelhante em 2018, para entrada em 2019. A USP abriu em 2019 para entrada em 2020 e eu descobri ‘fuçando’ [notícias]. É importante procurar essas coisas relacionadas às olimpíadas que você faz”, recomenda Monick. 

 

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp