Folha
de São Paulo, Cotidiano, TERÇA-FEIRA, 16 DE JULHO
DE 2013

Faculdade
da USP critica projeto sobre médicos

DE SÃO PAULO

Em sua primeira
manifestação após o governo propor
ampliar de seis para oito anos a formação de
médicos, a Faculdade de Medicina da USP pediu que a medida
provisória seja
tirada da pauta de votações no Congresso.

A proposta prevê
ainda a
vinda de médicos estrangeiros sem revalidar o diploma.

Em nota, a diretoria da
faculdade a qualificou como “impositiva, sujeita a vários
erros técnicos e
políticos”.

A faculdade diz considerar
“temerário” o projeto de ampliação de
vagas, num “quadro em que
diversas instituições não oferecem
formação adequada”. Afirma que os
problemas na saúde não resultam “da falta de
médicos e sim de uma política
pública de saúde inadequada”.

A
instituição critica o
aumento do número de anos do curso e defende a
aplicação do Revalida –exame
para revalidar diplomas obtidos no exterior– para estrangeiros.

A nota pede a
criação de
uma comissão, com órgãos profissionais
e escolas de medicina, para formular um
“modelo factível e viável”.


Categorias: Medicina

1 comentário

Os comentários estão fechados.

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp