bool(false)

ESTADÃO CONTEÚDO – 06/05/2021 – SÃO PAULO, SP


FGV, Insper, Faap e ESPM planejam vestibular online mesmo depois da pandemia

JÚLIA MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

Faculdades particulares de ponta preveem manter o vestibular online mesmo quando a pandemia acabar. A avaliação é de que o modelo ajuda a atrair alunos de outros Estados, que não fariam o processo seletivo presencial, e em alguns casos até favorece uma avaliação personalizada dos estudantes. Na Fundação Getúlio Vargas (FGV), todo o processo seletivo continuará virtual. Outras escolas como o Insper e a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) devem manter ao menos parte do vestibular remoto após a pandemia. A Fundação Armando Alvares Penteado (Faap) avalia oferecer as modalidades presencial e remota nos próximos anos.

O modelo virtual facilitou o ingresso de mais alunos fora do eixo Rio, São Paulo e Brasília na FGV. Jovens do Norte e do Nordeste hoje estudam na fundação, mas teriam dificuldades em fazer viagens para o vestibular. `Esse formato deve ser mantido para dar chance a pessoas do Brasil todo`, diz Antônio Freitas, pró-reitor da FGV. Segundo ele, a extinção da prova impressa está em análise, para preservar isonomia entre os candidatos. O modelo online não é barato e antes da pandemia havia pouca tradição no País com provas virtuais.

Para fazer um vestibular a distância, é preciso investimento em tecnologia e pessoal. No caso da FGV, um software com inteligência artificial identifica até se o aluno muda a forma como digita, olha para outro lado ou se alguém entra no cômodo onde está fazendo a prova. Cerca de 400 tutores trabalham nos testes para vigiar os candidatos por meio de câmeras. `Os resultados foram muito semelhantes aos problemas que existiam no presencial`, diz Freitas. Com a diferença de que hoje há mais alunos como Alice de Aguilar, de 16 anos, matriculados.

De Itaúna (MG), Alice já tinha a garantia de bolsa de estudos, mas conta que teria dificuldades de viajar ao Rio para fazer o vestibular no fim do ano passado. No modelo online, teve de arrumar câmera e microfone, além de avisar os pais para não entrar no quarto durante a prova. Na turma do curso de Ciência de Dados e Inteligência Artificial na FGV do Rio, há alunos do Sul, de Minas, do interior do Rio. `De um monte de lugar. Tem até um colega com fuso uma hora mais cedo.`

O Insper também notou aumento de inscritos de fora de São Paulo no processo seletivo remoto. Para o próximo vestibular, em junho, o ritmo de inscrições de candidatos que não são da capital paulista é maior do que a velocidade de inscritos paulistanos – algo que o Insper vê como vantagem. `O aluno do Nordeste conhece os problemas do Nordeste. Vai se formar aqui e fazer diferença no Estado dele`, diz Tadeu da Ponte, coordenador de processos seletivos do Insper.

Segundo Ponte, a 2ª fase do Insper, com entrevistas e dinâmicas de grupo, deve ser mantida no modelo virtual mesmo após o fim da pandemia. A 1ª etapa do vestibular remoto é uma prova pelo computador, em plataformas que dificultam a cola. Um algoritmo controla quais itens surgem nos testes de cada aluno. `Questões que apareceram para uns não aparecem para os outros.` Após a prova, os candidatos também passam por arguição oral, em que explicam as decisões tomadas na prova.

O modelo virtual do vestibular, criado por causa da pandemia, acabou acelerando uma mudança que a ESPM já queria fazer: entrevistas com todos os candidatos. `Não conseguíamos imaginar uma logística para isso`, diz Alexandre Gracioso, vice-presidente Acadêmico da ESPM. No vestibular online, foi possível organizar conversas com os candidatos, por videochamadas. Cerca de 200 profissionais foram treinados para fazer as entrevistas, que seguem roteiro padronizado.

O formato, que começou em 2020, continua no vestibular do meio do ano e deve ser mantido no pós-pandemia. Segundo Gracioso, a entrevista ajuda a selecionar alunos afinados com a proposta acadêmica da escola. Embora avisados sobre o tema e até sobre referências para a conversa, parte dos alunos chega na entrevista sem ter se preparado – e perde pontos.

Para a seleção de inverno, as entrevistas devem ser feitas ao longo de dois meses. O resultado do teste oral corresponde a metade da nota do candidato – a outra parte vem de uma redação. Ainda não há decisão sobre a continuidade da prova escrita no modelo remoto, mas Gracioso vê uma tendência de que as soluções acabem se tornando híbridas: presencial ou online, de acordo com a disponibilidade do aluno.

Na Faap, que teve até candidato do exterior no vestibular online do ano passado, o formato remoto será mantido no pós-pandemia junto com outras possibilidades de ingresso. `O processo presencial nunca vai deixar de existir`, diz Rogério Massaro, assessor de Assuntos Acadêmicos da Faap. `Devemos manter o máximo de opções possíveis para o ingresso, da forma como o candidato preferir.`

Fernando Augusto de Oliveira Tasso, de 18 anos, fez seu primeiro vestibular online no fim de 2020 e aprovou. “Gostei da prova online porque prefiro digitar do que escrever à mão. O vestibular é um momento em que você está tenso, nervoso, e às vezes fica feia a grafia”, diz o jovem, aprovado para Direito na FGV do Rio.

Neste ano, a fundação obteve as três primeiras posições do Índice Geral de Cursos (IGC), avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), do Ministério da Educação que mediu a qualidade do ensino superior em 2019. Para Freitas, não há perda de qualidade com o vestibular remoto, e cursos de graduação e pós durante a crise sanitária se adaptaram rapidamente às aulas online.

Do interior de São Paulo, Tasso já está estudando na FGV do Rio, mas ainda não se mudou para a capital fluminense. Ele aguarda o retorno das aulas presenciais, que deve ocorrer na FGV com avanço maior da vacinação no Brasil, segundo Freitas. Na sala de aula, o jovem tem colegas de Uberaba (MG), e São Luís. `Isso incentiva a diversidade.`

A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) vai usar as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na seleção do meio do ano e ainda não definiu como será o vestibular após a pandemia. A Universidade Presbiteriana Mackenzie, que fez provas online no ano passado e terá vestibular de inverno remoto este ano, também não definiu o formato para depois da covid-19.

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp