bool(false)

Guia do Estudante, https://guiadoestudante.abril.com.br/orientacao-profissional/silvio-bock-duvidas-mais-comuns-ao-escolher-uma-profissao/(16/05/2017)

Orientação Profissional

Silvio Bock: dúvidas mais comuns ao escolher uma profissão

O orientador vai palestrar na Feira no dia 26 de agosto

POR GABRIELA PORTILHO

Sempre presente nas feiras do Guia do Estudante, Silvio Bock ajuda jovens – e também adultos – a escolher e a lidar com as suas angústias e questionamentos em busca de uma carreira profissional que que traga realizações. Mas será que é fácil acertar de primeira? Perguntamos a ele quais são as cinco dúvidas mais recorrentes entre os estudantes na hora de fazer essa escolha.

  1. Devo escolher a profissão pelo que gosto ou pelo que me dá dinheiro?

“Os dois fatores devem ser levados em conta. Mas esse questionamento entre o que é prazeroso e o que dá dinheiro pode acabar colocando os estudantes diante uma ideia que não é real, como se o que fosse prazeroso não pudesse render frutos financeiros. Dá para escolher a profissão que você gosta e depois correr atrás do dinheiro. Agora, escolher a profissão só pensando no retorno financeiro pode ser mais complicado. Isso porque o mercado é dinâmico e acaba se modificando com o tempo. As profissões promissoras de hoje podem não ser de amanhã e vice-versa.”

  1. Como garantir que eu não vou ter que mudar de curso, depois de ter ingressado em um?

“Escolher uma profissão, independentemente do momento que a pessoa está vivendo, muito difícil. A escolha profissional é um projeto de vida, algo que pode mudar ao longo dos anos. Essa não é uma decisão fixa, como também nós não somos. Todos vamos mudando ao longo do tempo. Por isso, estabelecer esse projeto é mais do que uma escolha, pois implica renunciar a várias outros caminhos possíveis. Uma pessoa pode amar várias profissões e ter que escolher apenas uma, mas é preciso começar por algum ponto de partida. Toda decisão é um ato de coragem que implicará em perdas.”

  1. Como “descubro” minha profissão?

“Muitos aspectos devem ser considerados, mas acho que, sobretudo, o estudante deve refletir sobre quais são os seus valores, o que ele deseja para a sua vida, considerar o mercado de trabalho e a situação social, política e econômica do país, levar em conta as experiências escolares, ouvir a opinião de amigos e familiares, e conhecer as profissões antes de tomar qualquer atitude, para não cair nos estereótipos de cada área, e acima de tudo, desenvolver o autoconhecimento.”

  1. Aos 17 ou 18 anos não é muito cedo para escolher uma profissão?

“Não sei se existe necessariamente a melhor hora ou idade para se fazer uma escolha como essa. Na sociedade brasileira, por uma questão social, o momento dessa escolha é no final do Ensino Médio. Mas acho que as pessoas podem questionar de fato essa ansiedade. Essa geração que hoje está escolhendo seu futuro profissional deve viver por volta de 100 anos. O que quer dizer entrar na faculdade antes ou depois da idade adequada? É claro que, com mais bagagens e vivências, pode ser mais fácil escolher uma profissão, mas é importante ter em mente que escolher sempre vai ser difícil, porque pressupõe perdas, seja com 18, seja com 40.”

  1. Algumas pessoas tem suas vocações reveladas desde criança, mas e quem não tem?

Não acho que trabalhar com o conceito de vocação seja o mais adequado porque traz em si uma ideia fatalista de que, se descobrir esse “chamado”, a pessoa terá felicidade e riqueza, e caso contrário seria infeliz. O ser humano é mais complexo do que isso, e pode adquirir habilidades durante toda a vida. Podemos nos descobrir, pensar em novas possibilidades e caminhos.”

Para tirar outras dúvidas com Silvio é só conferir sua palestra na Feira Guia do Estudante na sexta-feira, dia 26 de agosto, às 14h! As inscrições já estão abertas e são gratuitas!

FEIRA GUIA ESTUDANTE
Data: 26, 27 e 28 de agosto
Horário: 9 às 19h
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo – Av. Otto Baumgart, 1000. Vila Guilherme, São Paulo – SP

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp