bool(false)

Biotechtown, https://biotechtown.com/blog/o-que-e-biotecnologia/, 08/07/2019

BIOTECNOLOGIA: DESCUBRA O QUE É E QUAIS OS SEUS USOS

VOCÊ SABE O QUE É BIOTECNOLOGIA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A SOCIEDADE?

Segundo a ONU, “biotecnologia significa qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica” (ONU, Convenção de Biodiversidade 1992, Art. 2).

Ou seja, biotecnologia nada mais é a ciência que, a partir de organismos vivos, cria produtos para melhorar a forma como vivemos, usando de conhecimentos acadêmicos, experimentação e constante inovação.

HISTÓRIA DA BIOTECNOLOGIA

As técnicas de biotecnologia se iniciaram por volta de 6.000 a.C. com os processos de fermentação para produção de bebidas alcoólicas. Posteriormente, a fermentação também começou a ser utilizada para a fabricação de pães, queijos, vinagres e iogurtes.

No século XVII, o pesquisador Anton Van Leeuwenhoek descobriu a existência de seres minúsculos por meio do microscópio, mas apenas em 1876 Louis Pasteur provou que esses microrganismos eram os causadores da fermentação.

Apesar desta ciência já existir há milênios, o termo “biotecnologia” foi criado apenas em 1919 pelo engenheiro húngaro Karl Ereky. Foi também no período das Guerras Mundiais que houve um aumento expressivo em estudos para a fabricação de explosivos e munições através da utilização de produtos biotecnológicos. Aconteceram também outros avanços no segmento como a descoberta da penicilina por Alexander Fleming, em 1928.

Depois disso, as pesquisas em biotecnologia seguiram aumentando, levando à criação de novos campos de estudos como a engenharia genética, técnicas como a do DNA recombinante e eventos marcantes como o nascimento do primeiro mamífero clonado, a ovelha Dolly.

Segundo estudos da consultoria Deloitte, a biotecnologia representa hoje cerca de 27% do mercado global. A expectativa é que em 2024 esse número aumente para 31%. Isso se deve a fatores como o envelhecimento da população mundial e o crescimento no número de doenças crônicas.

Conheça alguns dos resultados mais importantes já desenvolvidos a partir do estudo da biotecnologia:

  • Marcadores moleculares, que permitem a análise da diversidade genética e os testes de paternidade;
  • Engenharia genética, também chamada de tecnologia do DNA recombinante, que possibilita a obtenção de transgênicos, denominação ampla dada aos Organismos Geneticamente Modificados (OGMs);
  • Sequenciamento de DNA, que permite o conhecimento do genoma dos organismos e sua aplicação no melhoramento genético;
  • Clonagem de animais;
  • Estudos de células tronco.

BIOTECNOLOGIA MODERNA

O termo Biotecnologia Moderna é utilizado para se referir ao uso da biotecnologia nos dias atuais e está ligado às técnicas de manipulação de material genético e à fusão de células que vai além das barreiras de reprodução normal.

O início da era da Biotecnologia Moderna se deu com a descoberta de que genes são feitos de DNA e podem ser isolados, copiados e manipulados e substituiu a era da Biotecnologia Antiga, como é chamada hoje.

Embora o nome dê a impressão de que é recente, a Biotecnologia Moderna já existe há décadas. As informações de quando este termo começou a ser utilizado divergem em vários estudos, mas é certo afirmar que o primeiro grande marco para esta era foi a descoberta da estrutura do DNA em 1953, por James Watson e Francis Crick.

TIPOS E APLICAÇÕES DE BIOTECNOLOGIA

A biotecnologia possui diversos tipos e cada um deles tem sua aplicação específica. A partir dela é possível desenvolver produtos e soluções em áreas como medicina, agricultura, pecuária, alimentação, bioenergia, indústria química, eletrônica, dentre outras.

Existem, atualmente, dez diferentes tipos de biotecnologia e eles são classificados por cores. Listamos abaixo quais são eles e suas respectivas aplicações.

Biotecnologia Vermelha: Este tipo de biotecnologia está relacionado ao ramo de medicina, tanto humana quanto animal. Ela tem esta cor como uma referência ao sangue e é a maior dentre as demais segmentações. Tudo aquilo que tem como objetivo melhorar a saúde das pessoas e dos animais, em biotecnologia, está nesta classificação. Suas áreas de aplicação são a produção e o desenvolvimento de vacinas, medicações, métodos de diagnóstico, terapias gênicas, órteses e próteses, equipamentos médicos, reprodução artificial, dentre muitos outros.

Biotecnologia Branca: É o ramo que aplica a biotecnologia em processos industriais. O principal objetivo desta área é melhorar a sustentabilidade e a eficiência nos processos de fabricação. Pode ser utilizada na produção de alimentos, biocombustíveis, cosméticos e até mesmo para vacinas.

Biotecnologia Cinza: Esta classificação de biotecnologia é para sua aplicação em áreas ambientais. Além de buscar soluções para cuidar e preservar o solo, a flora e as águas, ela pesquisa novas formas de reaproveitamento de resíduos.

Biotecnologia Azul: É a pesquisa de biomas do fundo do mar, por isso a cor azul. A rica biodiversidade encontrada nos oceanos oferece oportunidades que podem ser aplicadas em outras áreas, como agricultura, alimentação, biocombustíveis, farmacêuticos, ambiental, entre outros.

Biotecnologia Marrom: Assim como a biotecnologia azul, a marrom se esforça para buscar soluções inovadora em formas de vida em locais inóspitos e pouco habitados. Nesta área, os ambientes explorados são os desertos. Sua aplicação prática é o desenvolvimento de plantas geneticamente modificadas para suportar a seca, técnicas para agricultura em locais áridos e ainda o uso racional de água.

Biotecnologia Amarela: Ramo mais antigo da biotecnologia, esta é a classe voltada para a alimentação e nutrição. Ela pesquisa formas de desenvolver alimentos que sejam mais nutritivos e promovam a saúde ou que não causem alergia ou intolerâncias.

Biotecnologia Dourada: Este é o tipo de biotecnologia voltada para bioinformática e nanotecnologia. A função dela é pesquisar e desenvolver programas, algoritmos e equipamentos para a análise de dados biológicos, além de fabricar biossensores e demais dispositivos que podem ser utilizados na biotecnologia.

Biotecnologia Verde: Responsável pela agricultura. Nutrir e fertilizar as plantações e combater pragas e fenômenos climatológicos são exemplos da sua aplicação, que ainda pode ser estender à criação de novas variedades de plantas e à clonagem de vegetais. Os alimentos transgênicos são produzidos a partir dela.

Biotecnologia Roxa: Responsável pelas discussões éticas, morais, de regulamentação e de propriedade intelectual. Esta área se envolve com todas as demais.

Biotecnologia Laranja: Este é o setor responsável pelo ensino e pela disseminação da biotecnologia. Ela desenvolve materiais e estratégias educacionais para levar informações sobre a biotecnologia para o maior número de pessoas.

Biotecnologia Preta: É a área que investiga o desenvolvimento de armas biológicas e o fomento do bioterrorismo. Não podemos ignorar este setor pois, se mal utilizada, a biotecnologia pode ser um grave risco.

O PROFISSIONAL DE BIOTECNOLOGIA

Quem opta pelo estudo da biotecnologia irá atuar em uma área inovadora por natureza, com forte background acadêmico com grande foco no desenvolvimento de pesquisas. Assim como o campo de estudo, o biotecnologista se torna multidisciplinar. Isso se deve ao curso ter em sua grade diversas matérias como biologia molecular, bioinformática, engenharia bioquímica, engenharia genética, química industrial, entre outras.

Após a conclusão do curso de biotecnologia, o profissional poderá atuar com Pesquisa e Desenvolvimento, com análises genéticas e diagnóstico, na indústria farmacêutica, de insumos, cosméticos e alimentos, entre outros setores, como os citados anteriormente.

O empreendedorismo, a desburocratização e investimentos no setor são fundamentais para tirar a pesquisa da bancada e aplicá-la no mercado, podendo assim solucionar problemas da sociedade.

BIOECONOMIA NO BRASIL

No Brasil, programas de apoio à biotecnologia começaram a surgir por volta da década de 1980. Um exemplo foi a criação do Fundo Setorial de Biotecnologia que, de acordo com o site do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), tem como foco “promover a formação e capacitação de recursos humanos, fortalecer a infraestrutura nacional de pesquisas e serviços de suporte, expandir a base de conhecimento da área, estimular a formação de empresas de base biotecnológica e a transferência de tecnologias para empresas consolidadas, realizar estudos de prospecção e monitoramento do avanço do conhecimento no setor”.

A biotecnologia é considerada prioridade estratégica no Brasil desde 2003, e em 2007 foi criado o decreto Nº 6.041 que estabeleceu a Política de Desenvolvimento da Biotecnologia.

Alguns dados sobre economia e empreendedorismo no Brasil:

  • Segundo o estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD) de 2013, o Brasil ocupa a 12° colocação no ranking mundial em relação ao número de empresas de biotecnologia.
  • Em 2011, o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP) realizou a pesquisa Brazil Biotech Map. O levantamento apontou que 86,1% das bioempresas no Brasil estavam concentradas em São Paulo (40,5 %), seguido de Minas Gerais (24,5%), Rio de Janeiro (13,1 %) e Rio Grande do Sul (8 %).
  • Segundo a última Pesquisa de Inovação (PINTEC) realizada pelo IBGE, o número de companhias que utilizam biotecnologia no Brasil cresceu 41,9% de 2011 a 2014.
  • O Brasil se destaca por ser pioneiro na pesquisa e utilização de produtos agrícolas geneticamente modificados, além de desenvolver e comercializar conhecimentos de biotecnologia agrícola de ponta.

BRAZIL BIOTECH MAP (CEBRAP), MOSTRANDO A CONCENTRAÇÃO DE
BIOEMPRESAS EM ALGUNS ESTADOS DO BRASIL

Cada vez mais a biotecnologia tem adquirido grande importância do ponto de vista econômico e o Brasil tem se posicionado como um grande mercado desse segmento. Um dos motivos é o tamanho de sua população pois, quanto maior o número de habitantes de um país, maior é o consumo de medicamentos, alimentos, vacinas, entre outros bioprodutos.

Porém, para que a produção de conhecimento em biotecnologia no país alcance o mesmo potencial consumidor, há uma série de investimentos que precisam acontecer:

  • Educação, para aumento da capacitação profissional;
  • Infraestrutura de pesquisa e desenvolvimento;
  • Proteção à propriedade intelectual;
  • Regulamentação adequada;
  • Regras para transferência de tecnologia;
  • Incentivos comerciais e de mercado;
  • Marco legal que garanta segurança jurídica.

EMPRESAS DE BIOTECNOLOGIA

Com sua importância cada vez mais evidente, a biotecnologia ganha espaço nas empresas de forma exponencial. Iniciativas como a do BiotechTown, de encurtar o caminho da universidade para o mercado e de acelerar o desenvolvimento de soluções nesta área, são ainda mais importantes e fomentam o surgimento de mais empreendedores no setor.

Surgem então desde projetos de Hard Science, que produzem proteínas recombinantes ou desenvolvem novas técnicas de combate ao câncer por meio de células CAR-T, até iniciativas que utilizam conhecimentos em outras áreas para dar suporte ao ecossistema de biotecnologia, por meio de inteligência em farmácia ou em aplicativos para dispositivos eletrônicos.

O cenário de empresas de biotecnologia, no mundo, já é gigantesco e os resultados consistentes garantem novas rodadas de investimento. No Brasil, esta é uma área que está em crescimento e ainda tem muito espaço para investimento. Algumas iniciativas de aceleração no setor, como a do BiotechTown, são exemplos que asseguram que este é um caminho interessante para novos investimentos.

Por estar começando a crescer agora, especialistas afirmam que o setor de biotecnologia, especialmente em ciências da vida, está no momento ideal para receber investimentos e os resultados serão cada vez mais positivos.

O BiotechTown, dede 2018, já investiu em 22 startups, totalizando R$5.4 milhões aplicados em bionegócios. Conheça startups investidas pelo BiotechTown e seus projetos.

Área de laboratórios em Biotecnologia no BiotechTown

IMPACTOS NEGATIVOS DA BIOTECNOLOGIA E OS DEVIDOS CONTROLES

Ao mesmo tempo em que a biotecnologia é uma das principais áreas de desenvolvimento do mundo, ela nos dá caminhos para nos destruirmos! Não há dúvidas de que esta é uma área responsável por setores essenciais à vida, como medicina, ambiental, agricultura e pecuária. Os benefícios são diversos e intangíveis, mas a biotecnologia também pode ser considerada um risco se utilizada para fins errados.

A Biotecnologia Preta, por exemplo, como já citado neste conteúdo, pode desenvolver armas biológicas e, com elas, as guerras biológicas, o que chamamos de bioterrorismo. Estas guerras são o uso intencional de toxinas e micro-organismos, muitas vezes criados em laboratórios, para causar doenças em seres humanos, animais e vegetações.

Outras consequências, até mesmo não intencionais, podem ocorrer, como os alimentos transgênicos que causam alergias ou a utilização intensa de agrotóxicos. Afinal de contas, a biotecnologia está presente em quase tudo o que utilizamos no nosso dia a dia.

Para controlar todos estes riscos, a World Health Organization (Organização Mundial da Saúde) produziu o guia “Responsible life sciences research for global health security” (Pesquisa responsável em ciências da vida para segurança da saúde global), um documento de 69 páginas que promove a saúde pública enquanto limita o potencial do bioterrorismo.

O guia trata sobre metodologia, mecanismos, ferramentas, segurança laboratorial, ética e demais assuntos referentes ao trabalho em biotecnologia.

Além disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou a convenção para armas biológicas, que proíbe desenvolvimento, produção, aquisição, transferência, estocagem e uso de armas tóxicas e biológicas.

HUB DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA

O BiotechTown foi criado para viabilizar o surgimento e promover o crescimento de novos produtos e negócios de Biotecnologia e Ciências da Vida. Para isso, realiza investimentos financeiros em startups da área por meio do Programa de Desenvolvimento de Negócios, facilita o desenvolvimento de pesquisa por meio do laboratório aberto(Open Lab) e o desenvolvimento de lotes-piloto e lotes comerciais na planta de produção (CMO).

Ao participar do Programa de Desenvolvimento de Negócios do BiotechTown, os empreendedores, que podem ser pesquisadores que desenvolveram soluções  de biotecnologia e ciências da natureza no meio acadêmico, têm acesso a formação e mentorias relacionadas à gestão, profissionalização da empresa, estabelecimento de milestones e drivers de crescimento. O BiotechTown trabalha lado a lado com os empreendedores para que os bionegócios cheguem com sucesso ao mercado. Além disso, promove conexões cruciais para o sucesso do negócio, auxilia no contato com os primeiros clientes para validação de produtos e com investidores. O Programa de Desenvolvimento de Negócios possui metodologia própria, validada e customizada de acordo com a necessidade de cada startup.

 

 

 

 

 

Categorias: Biotecnologia

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp