bool(false)

POR IG ÚLTIMO SEGUNDO – IG EDUCACÃO – 06/04/2020 – SÃO PAULO, SP

Mais de 90% das escolas do mundo fecharam durante a pandemia

Mais de 90% dos estudantes matriculados no mundo estão sem aula por causa da pandemia do coronavírus – e isso aconteceu em apenas algumas semanas, segundo a UNESCO, agência pertencente à Organização das Nações Unidas (ONU).

Ao todo, escolas de 188 países fecharam suas portas no dia 4 de março, afetando 91,3% dos estudantes, desde o ensino fundamental até a universidade. O número total de estudantes impactados foi de 1.576.021.818 .

Em 16 de fevereiro, apenas 0,1% dos estudantes do mundo foram afetados, totalizando pouco mais de 1 milhão, sendo a China o único país que fechou todas as unidades de ensino. À medida que o novo coronavírus se espalhava de país para país, continente para continente, os governos rapidamente começaram a agir, ordenando o fechamento de escolas em todo o país e a maioria dos outros aspectos da vida pública.

Meninas serão as mais impactadas

Segundo o levantamento, as meninas sofrerão mais com o fechamento de escolas em todo o mundo. Stefania Giannini, diretora geral assistente de educação da UNESCO, e Anne-Birgitte Albrectsen, diretora executiva da Plan International, uma organização humanitária e de desenvolvimento, escreveram que, dos estudantes fora da escola, mais de 111 milhões deles são meninas que vivem nos países menos populosos do mundo, `onde a educação já é uma luta` para eles.

Giannini e Albrectsen continuaram:

`São contextos de extrema pobreza, vulnerabilidade econômica e crise nas quais as disparidades de gênero na educação são mais altas. No Mali, Níger e Sudão do Sul – três países com algumas das taxas mais baixas de matrícula e conclusão para meninas – o fechamento forçou mais de 4 milhões de meninas a saírem da escola`.

`Para as meninas que vivem em campos de refugiados ou que são deslocadas internamente, o fechamento das escolas será mais devastador, pois elas já estão em desvantagem. As meninas refugiadas no ensino médio têm apenas metade da probabilidade de se matricular do que seus colegas do sexo masculino`.

Por fim, as pesquisadores acrescentaram: `enquanto muitas meninas continuarão com seus estudos assim que os portões da escola reabrirem, outras nunca voltarão. As respostas à educação devem priorizar as necessidades das meninas adolescentes com o risco de reverter 20 anos de ganhos obtidos na educação das meninas. ”

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp