bool(false)



Nova pagina 9

Folha de São Paulo, Especial, quinta-feira, 27 de setembro de
2012

Arquiteto projeta prédios e planeja bairros e cidades

DESIGNER DE INTERIORES EQUILIBRA CORES,
ACESSÓRIOS E MOBILIÁRIOS

PEDRO IVO TOMÉ, COLABORAÇÃO PARA A FOLHA


Enquanto o arquiteto projeta prédios e considera a acessibilidade e o uso da
construção, o designer de interiores harmoniza espaços já construídos com
diferentes acessórios e mobiliários.


A área de decoração e produção de interiores também faz parte das atribuições do
designer, ficando responsável pelo arranjo e cenário de festas e de eventos.


Débora Samara Medeiros, 25, escolheu design de interiores após uma palestra
sobre profissões no colégio.


"Eu adorei, achei tudo lindo. Gostei mais da parte de desenho, que foi com a
qual eu realmente me identifiquei." Mas, depois de dois anos, abandonou o curso
e resolveu partir para a arquitetura.


Ela diz que a possibilidade de atuação na arquitetura é mais vasta. "Tive muito
da parte artística em design de interiores, e agora eu tenho muito da técnica,
propiciada pela arquitetura."


O arquiteto, diferentemente do designer de interiores, tem um mínimo de
horas/aula de cálculo estrutural e de estudo em resistência de materiais,
habilitando-o para pequenas construções e ampliações (o resto é de
responsabilidade do engenheiro civil).


Além disso, o profissional recebe formação em urbanismo e pode planejar regiões
e bairros. "O urbanista pode fazer o projeto de uma praça ou de uma grande
cidade. Há uma diferença de escala entre o urbanista e o arquiteto", afirma
Maria Camila Loffredo D”Ottaviano, da FAU-USP.


Já o designer de interiores fica responsável pelo projeto de um espaço interno
definido. Pode modificar as cores e a iluminação de ambientes, combinando
objetos e definindo seu equilíbrio.



DESIGN DE PRODUTOS PENSA NO CONFORTO


Os cursos de design de produtos e de desenho industrial têm como ponto de
partida no desenvolvimento de projetos princípios de ergonomia, habilidade e
conforto no uso.


Já na arquitetura, esses princípios são reunidos na acessibilidade, ou seja, no
estudo do acesso e da permanência dos usuários em determinado espaço.


Hoje, a maioria dos cursos de arquitetura não aprofunda o estudo do design. Já a
USP tenta manter a abordagem, estruturando as disciplinas em cinco campos:
arquitetura, desenho urbano, desenho industrial, paisagismo e programação
visual.



DEZ. 2010


Uma nova lei passou a regulamentar o exercício da arquitetura e do urbanismo,
criando o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil. Antes, o Crea (Conselho
Regional de Engenharia e Agronomia) era o órgão responsável pela regulamentação
da profissão no país



PELA LEI


São atribuições do arquiteto e urbanista a supervisão, o estudo de viabilidade
técnica e ambiental e o planejamento de obras de construção, além de sua
execução, fiscalização e condução


1 comentário

Os comentários estão fechados.

× clique aqui e fale conosco pelo whatsapp